Video Sitemaps como estratégia de Link Building | Link Building

Informações com qualidade sobre Link Building SEO

Afiliados Magazine

24 mai 11

Video Sitemaps como estratégia de Link Building

Este artigo tem o objetivo de expor alguns dos métodos que ajudam na indexação e classificação de vídeo que podem ser utilizados como estratégia direta ou indireta de link building. Dessa forma você terá uma visão das possibilidades existentes, bem como das oportunidades que está perdendo se não está utilizando esse valioso recurso.

Vídeo Sitemaps – Cenário Atual

Vídeos são um dos maiores atrativos da web quando falamos de interação, engajamento e entretenimento. A média de compartilhamento e conversões de conteúdos que contenham (ou sejam) vídeo é infinitamente maior do que os que não contém. Essa é a tendência, é isso que as as pessoas gostam. Informação relevante aliada ao dinamismo proporcionado pela mídia de vídeo levam a experiência do usuário no site um nível acima. É nesse contexto que os sitemaps de vídeos trazem um diferencial competitivo.

Como era de se esperar, o Google, com seu olho clínico para as tendências e anseios dos usuários não poderia ficar de fora desse processo. Não é novidade para a grande maioria, que a muito tempo o Google implementou e vem melhorando o suporte à indexação e classificação de vídeos. Não é raro encontrarmos vídeos relacionados ao tema pesquisado como parte dos resultado de uma busca no Google. É importante observar que, na grande maioria das vezes, resultados de vídeo vem aparecendo no topo das SERPs. #oportunidade

Apesar de todos os benefícios da implementação de um sitemap de vídeo, muitos sites (inclusive de médio e grande porte) ainda não fazem uso desse recurso, e com isso deixam de obter um grande volume de acessos (devido ao extraordinário CRT) que os resultados de vídeos trazem para o site.

A cauda longa dos vídeos online

O gráfico abaixo é baseado em uma pesquisa da comScore e representa o total de minutos gastos em sites de vídeos ao longo dos meses de um ano (de dezembro de 2008 a dezembro de 2009).

Como podemos perceber, apesar do youtube ser o maior site de vídeos em termos de volume e pesquisas (inclusive sendo o segundo mecanismo de busca mais utilizado no mundo, perdendo apenas para o próprio Google), o tempo gasto online nele representa apenas 26% do marketshare. O grande volume em tempo de visualização de vídeos (52% do marketshare) ainda é originado em sites menores, abaixo dos top 25 maiores sites de vídeo do mundo.

Isso mostra uma ótima perspectiva de que o nicho de vídeos ainda pode ser muito mais explorado, e cada um pode tirar sua fatia de ROI desse grande mercado de entretenimento digital. E nesse processo, o uso dos sitemaps de vídeos podem ser um complemento de peso na estratégia de seu site.

comscore video trends

Case de resultado de vídeo sitemaps nas SERPs

Há alguns meses atrás no Link Love, o maior seminário dedicado a falar de Link Building realizado até hoje, Rand Fish, o co-fundador da SEOmoz, abordou o tema dos sitemaps de vídeos em sua palestra sobre o futuro do Link Building. Ele exibe um case de uma vídeo entrevista realizada com Duane Forrester aonde nos resultados da pesquisa pelo nome do entrevistado no google o vídeo da entrevista aparece em destaque nas serps, com link direto para o site da própria SEOmoz.

duane forrester bing

Segundo Rand Fish, o CRT dos resultados desse vídeo nos resultados de busca (que aliais, ficaram na frente dos vídeos do youtube) é simplesmente fenomenal, superando toda e qualquer expectativa que eles pudessem ter. E o melhor de tudo, tráfego direto das serps para seu site, sem passar por intermediários.

Além do link direto nos resultados de busca, como vídeos em geral tem uma taxa de compartilhamento muito alta, o vídeo rendeu centenas de links diretos em vários outros sites, atuando também como uma ótima estratégia de Link Bait. Ou seja, a implementação de vídeo sitemaps como estratégia de link building só trás benefícios, não devendo ser encarada como custo e sim como investimento com alto nível de ROI.

Saiba mais sobre o assunto

Por enquanto é só pessoal. Mas o assunto não para por aqui, não deixe de conferir a continuação deste artigo: Vídeo Sitemaps – escolhendo sua estratégia. Nele serão mostradas duas estratégias  diferentes, os benefícios, custos de implementação, dificuldade de desenvolvimento e o retorno gerado por cada uma.

Acompanhe e tire o melhor proveito desse recurso tão pouco explorado atualmente, saia na frente dos seus concorrentes e aumente o volume de tráfego oriundo da busca orgânica do google de forma simples e barata.

Sua empresa já utiliza esse recurso? Como está sendo a experiência? Deixe aqui seu relato e vamos compartilhar cases e experiências sobre o assunto.

Em adicional, para estar sempre atento às últimas novidades de Link Building você deve seguir nosso perfil no twitter e curtir nossa fã page no facebook.

Até a próxima.

Compartilhe

  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no LinkedIN
  • Compartilhe no Orkut
  • Compartilhe no Digg
  • Compartilhe no Google
  • Compartilhe no Digg

Sobre o autor: Pablo Augusto

Pablo trabalha como consultor de Marketing Digital, atuando em projetos freelancer e em parceria com agencias de publicidade. Seu trabalho é voltado para as áreas de de Otimização de Sites (SEO), Link Building, Mídias Sociais e Links Patrocinados. Participa ativamente da comunidade SEO brasileira contribuindo com o fórum oficial do Google para Webmasters e escrevendo sobre search e desenvolvimento web.

Deixe seu comentário

Notifique-me de novos comentários via e-mail. Você também pode se inscrever sem comentar.

Comentários

  1. Bom artigo Pablo.

    Acho que realmente ter um resultado desse pode gerar alguns links de qualidade pro site, sem falar no tráfego dependendo da estratégia.

    Mas um detalhe que acredito que faltou dizer é que esse conteúdo em vídeo precisa ser bom, não basta aparecer ali. Pra gerar links depois é necessário um ótimo conteúdo, realmente relevante e tecnicamente bem feito, pois nada adianta ter um resultado desse que gere uma exposição ruim do teu site, dessa forma você cria um #fail e não um EPICWIN como foi o caso do SEOMOZ.

    Sempre que vejo discussões sobre técnicas e novas abordagens de link building ou de aproveitar oportunidades nas SERPS percebo que as pessoas estão mais preocupadas com essa “nova mídia” do que com o que vão colocar nela, de outro lado também vejo discussões rasas sobre qualidade desse conteúdo, normalmente resumidas num simples “conteúdo de qualidade”. Seria bacana uma abordagem mais profunda do que é um conteúdo de qualidade, pois vejo muita gente repetindo por aí que tamanho do texto é a regra, sendo que nesse caso do artigo o conteúdo é vídeo, estaria a qualidade desse vídeo apenas na sua transcrição?

    Sei que essa discussão sempre gera problemas, pois qualidade sempre é subjetiva, mas o que seria da gente sem eles, né? Para mim, mais importante do que aparecer na primeira página, é aparecer ali com conteúdo decente e útil, alguém discorda?

  2. Boa Tarde,

    Primeiramente tenhoo que parabenizar o Pablo Augusto pelo artigo, muito bom redigido e bem explicativo.

    Gostaria de saber, se para eu vincular o meu site ao video, meu site precisa fazer menção do video também?

    No exemplo acima foi mostrado um print com um video e o link para o site do seomoz, o meu video hoje encontra-se no youtube, tenho que colocar ele no meu site para aparecer do mesmo jeito?

    Abraços!!!

    ps: aguardando a terceira parte

  3. Pablo Augusto

    Ótimo ponto Rafael.

    Eu não mencionei que precisa ter um bom conteúdo pois para mim isso já é uma premissa. Ainda mais com Panda aguardando sua vez para a implementação no Brasil, conteúdo de qualidade passa a ser mais do que nunca um fator decisivo para o rankeamento.

    O Google através da priorização das necessidades do usuário, vem dando foco cada vez mais a esse quesito. Entretanto esse é um ponto que deixa muitas brechas. O que é um bom conteúdo? Você considera o video do ding ding #soufoda um exemplo de bom conteúdo?

    Bom, ruim, relevante, vazio, são conceitos totalmente subjetivo. Se humanos discordam quanto à classificação de um conteúdo, uma máquina então é que não terá capacidade cognitiva para tal.

    Dependendo do nicho (amostragem é sempre o caminho mais seguro) um conteúdo pode ser considerado relevante ou não. Acho que é nesse aspecto que o panda vai intervir, e de certa forma, mudar o jeito que muita gente produz conteúdo.

  4. Obrigado Leandro.

    Sobre sua dúvida, a terceira parte deste artigo irá responde-la. Entretanto vamos a um pequeno adiantamento.

    Já ouvi falar que é possível rankear a url do seu site nos resultados de vídeo das serps do Google com vídeos no youtube embedados em seu site com sitemap de vídeos. Inclusive o Rand Fish citou isso em sua palestra no #linklove.

    Mas sinceramente, até hoje eu não vi nenhum caso desses. Todos os casos que pesquisei e vi são de vídeos hospedados em seu próprio site. Ainda não vi sitemaps em site de terceiros, referenciando videos do youtube embedados no site rankeando com link para a página de onde está embedado.

    Só comprovei esse comportamento em vídeos hosteados no próprio site ou em CDN, nunca no youtube. Se alguém tiver um case para mostrar seria legal para confirmar a especulação.

    No próximo artigo sobre vídeo sitemaps vou abordar exatamente esse assunto. Fique de olho =)