Como cobrar por uma campanha de Link Building Freelancer? | Link Building

Informações com qualidade sobre Link Building SEO

Afiliados Magazine

09 mai 11

Como cobrar por uma campanha de Link Building Freelancer?

Tenho acompanhado diversos debates pela web que trazem o mesmo questionamento: “Como cobrar pelo planejamento, elaboração, implementação e gestão campanha Link Building de forma a atender o cliente da melhor forma possível e ainda sim obter um retorno sobre o trabalho executado?”

Para todos que estão começando em uma área nova, seja ou não ligada a otimização de sites, essa é uma das primeiras perguntas que entram em pauta. OK, vamos prestar serviço na área X, então como precificar o serviço prestado?

Não existe uma resposta única para essa pergunta, a formulação dos preços dependerá de uma série de fatores como:

  • Localidade
  • Experiência
  • Tempo de Mercado (sim, pode se ter tempo de mercado sem ter experiência)
  • Reconhecimento no Nicho no qual atua
  • Qualidade dos Resultados
  • Custos operacionais
  • Média do Mercado
  • Dentre inúmeros outros…

Como cobrar por Link Building Freelancer

Muitas pessoas que começam a trabalhar como consultor de SEO, Link Building, Links Patrocinados ou qualquer outra área em sua própria residência cometem um grande erro ao começar a colocar na ponta do lápis seus custos operacionais. Desconsideram a infra estrutura que já existe (sua própria casa, computador, luz, internet, etc) na hora de fechar o preço para um freela.

Custos Operacionais

Não existe prestação de serviço sem custo para o executor. Se você utiliza seus recursos próprios para prestar um serviço, deve considerar a devida proporção desses custos (calculado com base nas horas trabalhadas) que deve entrar na precificação do serviço.

Por exemplo, supondo que você tenha o seguinte custo mensal:

  • Aluguel + Condomínio: R$1.200,00
  • Internet: R$120,00 (incluindo telefone voip)
  • Luz: R$50,00
  • Gás: R$30,00
  • Alimentação: R$350,00

*Veja que não coloquei todos os custos que você possa ter no dia a dia, apenas uma média para ter uma base de exemplo, insira todos os seus custos adicionais para ter um valor real.

Como total de custos mensais teríamos aproximadamente R$1.750,00.

Agora que já temos nosso custo mensal, como calcular quanto cobrar por hora de implementação do projeto freela?
A média da jornada de trabalho no Brasil é de 220 horas. Então pegamos o valor total do nosso custo e dividimos por pela jornada de trabalho. R$1.750,00  / 220h  Aonde chegamos a um total de R$7,95 de custo de infra estrutura por hora.

Depreciação natural dos recursos e equipamentos

Uma vez que já temos o custo de nossa infra estrutura por hora, vamos calcular os custos de depreciação de nosso equipamento.Sim, de tempos em tempos temos de trocar / atualizar nossos computadores, scaner, mouse, teclado, laptop, etc. Esses custos devem entrar no valor cobrado pelo trabalho (na proporção de horas utilizada) como depreciação natural dos equipamento de uso diário.

Em todo tipo de negócio esses preços são inclusos, mesmo que não estejam claramente descritos para o cliente. Um exemplo comum é no aluguel de carros, existe uma taxa cobrada que visa a manutenção do mesmo, ela nada mais é do que a taxa de depreciação dividida pelo número de horas que você aluga o mesmo.

Equipamentos de informática em geral, principalmente computadores e laptops ficam obsoletos muito rápido, necessitando sempre de atualização para se manter compatível com os softwares e tecnologias necessárias para prestação do serviço. Outros itens que tem validade estipulada e geram custo também devem entrar nessa planilha com por exemplo a assinatura mensal/anual ou compra de um sistema, ferramenta ou serviço que seja utilizado durante a prestação do serviço.

Mas como calcular essa depreciação?

Basta fazer uma planilha simples aonde entram os campos:

  • Data de aquisição do equipamento
  • Preço pago
  • Durabilidade em meses (depois de quanto tempo ele terá de ser substituído por estar obsoleto?)
  • Depreciação por hora

planilha de depreciação Link Building

 

Existem diversas outras variáveis a entrar nessa conta, deixa-las de fora pode fazer você ter um grande prejuízo em seus projetos por não dar a devida importância a cada uma delas.
Já observei várias pessoas cobrando muito barato por um serviço achando que estavam tendo um lucro satisfatório, mas como não haviam computado todos os custos que incidiam sobre o projeto direta e indiretamente, na verdade estavam perdendo dinheiro.

Para facilitar o processo, criamos e disponibilizamos uma planilha para facilitar esse acompanhamento, ele engloba os itens mais comuns para se calcular um orçamento de link building ou de projetos semelhantes. Entenda que essa planilha deve servir apenas como base, e não como regra geral para orçamentos. Use-a como base para montar uma planilha que reflita a sua própria necessidade, modifique, adicione ou remova itens a vontade. E se incluiu algumas funcionalidades legais, mostre para nós que incluímos em versões futuras com crédito a você.

 

Download da Planilha

Baixe a planilha como cobrar uma campanha de Link Building completa.

 

Gostou?

Se você gostou desse post e a planilha lhe foi util, compartilhe-a com seus amigos e seguidores e fãs através dos links abaixo.
Deixe suas críticas e considerações nos comentários, ajude a ampliar e melhorar a planilha trazendo um benefício maior a toda comunidade.

 

 

Compartilhe

  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no LinkedIN
  • Compartilhe no Orkut
  • Compartilhe no Digg
  • Compartilhe no Google
  • Compartilhe no Digg

Sobre o autor: Pablo Augusto

Pablo trabalha como consultor de Marketing Digital, atuando em projetos freelancer e em parceria com agencias de publicidade. Seu trabalho é voltado para as áreas de de Otimização de Sites (SEO), Link Building, Mídias Sociais e Links Patrocinados. Participa ativamente da comunidade SEO brasileira contribuindo com o fórum oficial do Google para Webmasters e escrevendo sobre search e desenvolvimento web.

Deixe seu comentário

Notifique-me de novos comentários via e-mail. Você também pode se inscrever sem comentar.

Comentários

  1. Parabens pelo artigo pablo.
    Normalmente é um assunto muito recorrente este de como e em que condições cobrar por SEO.
    Como sugestão, acho que poderia abordar mais a parte do projeto, de o que incluir e o que não incluir e como cobrar pelas coisas inclusas no projeto. Fica de sugestão para um próximo artigo.

    Abraco
    Eduardo Gasparetto
    @ocarti

  2. Ola,

    excelente post!

    Acho que abordou o ponto certo e foi bem claro em como cobrar pode serviço.
    Parabéns.

  3. Luiz Almeida

    Cara,

    em minha sincera opinião, não acho que o tiulo deste post não é específico de link building.
    Ele é um post que acredito seja baseado na experiência com Freelas e o custo que se tem apesar de não ter os descontos de um CLT.

    Acredito também que trocando o nome das ferramentas de “SEO isso” e “SEO aquilo” para ferramenta XPTO o post se aplicaria em qualquer outro nicho de mercado que atende o segmento de freelancers (se é que freela é um segmento).

    Abs,

  4. Pablo Augusto

    Sugestão anotada. Colocarei nas próximas pautas o assunto.
    Obrigado pela sugestão.

  5. Pablo Augusto

    Que bom que gostou @rafilds.
    Grande abraço!

  6. Pablo Augusto

    Bom dia @Luiz Almeida.

    Com certeza, conforme citei no texto, ele não serve apenas para Link Building, mas para qualquer tipo de serviço semelhante. Inclusive desenvolvimento de sites, etc.
    Não serve para todo e qualquer tipo de freela da forma como está, mas se der uma adaptada simples pode servir sim.

    A idéia é essa mesmo, o compartilhamento de experiências para ajudar a comunidade.

    Abraços.

  7. Pablo,
    Para um projeto que estou trabalhando agora, fiz assim: dividi o meu salário ideal por mês pelo número de horas de trabalho (150 horas. 220 é muito não? É tipo mais de 9h/dia) Daí, como sótrabalho 2 horas por dia para este cliente, tenho um salário proporcional ao meu ideal. O que você acha? Alguma sugestão?

  8. Pablo Augusto

    @breno o número de horas é algo que depende do perfil e das horas que você está disposto a trabalhar. Em geral é muito difícil quem trabalha com consultoria e campanhas, ter uma jornada menor do que 9 ou 10 horas por dia, ainda mais se for freela. Mas esse número deve refletir a realidade de cada um, se a sua é 150, não há problemas.

    Eu só acho que é um tiro no pé não calcular as despesas para a prestação do serviço, como infra e depreciação. Uma vez que tenha de terceirizar ou contratar uma pessoa para ajudar no trabalho não terá recursos ou no mínimo não terá lucro, estará trabalhando de graça.

  9. Hmmm, entendo seu ponto de vista! Não tinha idéia de qto cobrar, não há tabelas oficiais ;D Porém, acho que o valor cobrado foi adequado ao trabalho de LB. Legal o artigo btw!

  10. Obrigada, Pablo! O post está incrível! abs @kellynagaoka

  11. Parabéns pelo post, você acaba de ajudar mais uma pessoa.

  12. Pablo Augusto

    Fico muito feliz com isso, essa é a melhor recompensa que posso ter, saber que foi útil e ajudou de verdade as pessoas. Abraços.

  13. Pablo Augusto

    Que bom que gostou Kelly! Abraços.

  14. Muito bom o post.
    Só uma questão na planilha: Na aba “Orçamento”/G9, ele faz o calculo de C4+C5*C16. O correto seria (c4+c5)*c16.

    fora isso adorei a planilha e o post.